Notícias

Fique por dentro da ABIH

Hotelaria cobra fim da cobrança dos direitos autorais sobre quartos de hotéis

Hotelaria cobra fim da cobrança dos direitos autorais sobre quartos de hotéis

Apesar do acordo firmado para que a retirada da cobrança de direitos autorais nos quartos de hotéis fosse incluída na MP 948, o tema não fez parte do texto-base aprovado no plenário no último dia 29, na sessão virtual da Câmara dos Deputados. Segundo declaração pública do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o acordo firmado de enfrentar o tema do Ecad está mantido, agora por meio de um projeto de lei que deverá ter sua urgência aprovada nos próximos dias e que possibilitará ao Plenário da Câmara apreciar o mérito da questão na próxima semana.

 

Para a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – ABIH Nacional, a questão dos direitos autorais é fundamental, pois os meios de hospedagens passam por um momento muito delicado, lutando para sobreviver e preservar empregos por todo o país. O setor não questiona o pagamento de direitos autorais pelas músicas tocadas nas áreas públicas dos meios de hospedagem - como recepção, restaurantes, áreas sociais e recreativas - mas considera que a cobrança não é pertinente dentro dos quartos de hotéis.

 

Isto porque a Lei de Direitos Autorais autoriza a cobrança da execução musical somente em locais públicos, contrapondo a Lei Geral do Turismo, que define os apartamentos dos meios de hospedagem como um local privado, ou seja, uma residência temporária, a exemplo da diretiva 2006/115/CE da Comunidade Europeia, que reconhece o quarto de hotel como ambiente privado não sujeito ao recolhimento.

 

De acordo com Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional, outro ponto que merece ser destacado nessa questão é que as emissoras de TV e Rádio ou operadoras de divulgação assemelhadas de streamings, como Spotify e Netflix, já pagam as taxas relacionadas aos direitos autorais das músicas executadas nos apartamentos de hotéis, o que torna a cobrança uma dupla tributação.

 

“Segundo informações do próprio Ecad, a hotelaria gera 22,5 milhões de reais em direitos autorais, de um total de 1,1 bilhão arrecadados, ou seja, o que ela arrecada com a hotelaria nacional corresponde a 2,5% da sua receita total, o que não impactaria significativamente sua receita conforme alega o órgão”, comentou Linhares que questiona ainda a forma de cobrança dos direitos autorais que taxa os hotéis por estimativa: “Antes a cobrança era baseada em uma ocupação presumida de cerca de 50% e, agora, a conta passou a chegar para os hotéis, mesmo para os que estão fechados desde março, como se eles estivessem com índices de ocupação entre 25 e 30%, em um momento que apenas 15% dos hotéis do país estão em funcionamento, com uma taxa de ocupação menor do que 5%”.

 

Segundo o presidente da ABIH Alagoas, André Santos, a cobrança do Ecad sobre os apartamentos dos hotéis não é justa, uma vez que o quarto é um ambiente privado e inviolável, de uso exclusivo e individual do hóspede. “A hotelaria não é contra a arrecadação dos direitos autorais e concorda com a cobrança do Ecad em áreas comuns e de frequência coletiva, com a qual já arcamos há muitos anos. Porém, a taxa em unidades habitacionais não tem justificativa lógica, já que durante a estada do hóspede, o quarto passa a ser uma extensão do domicílio do hóspede. Esse é um pleito antigo do setor e se torna ainda mais urgente neste momento de crise econômica por qual passamos, em que a receita da hotelaria continua praticamente paralisada e a recuperação dos prejuízos deve acontecer muito lentamente. Por isso, pedimos ajuda dos parlamentares para que essa pauta seja aprovada o mais rápido possível”, destacou.

 

A ABIH Alagoas pede aos deputados federais sensibilidade e celeridade na aprovação da pauta, que já teve diversas votações adiadas e foi retirada dos textos das Medidas Provisórias 907 e 948. A urgência na isenção da cobrança dos direitos autorais sobre os quartos de hotéis, neste momento, está diretamente relacionada à manutenção das empresas e empregos no setor e à diminuição da inadimplência junto ao Ecad.

 

 

Compartilhe
Publicado por

Email: ascom@abihal.com.br

Fonte: Assessoria de Comunicação